Púlbico no campo do Vila Mariza poderá já poderá ter seu retorno, mas com algumas regras

Público máximo poderá ser de até 500 espectadores e deve respeitar situação da pandemia de acordo com o mapa de risco

Após a liberação do público para o futebol profissional, o governo de Santa Catarina publicou, nesta terça-feira (14), uma nova portaria conjunta entre Fesporte e SES (Secretaria de Estado da Saúde) que define novas regras para competições, treinamentos e a presença de torcedores em eventos esportivos amadores públicos e privados no Estado.

A nova portaria substitui a anterior com todas as regras especificadas. Além disso, divide as categorias esportivas em esporte de rendimento, esporte de participação/lazer e esporte educacional, além de individuais sem contato direto, com contato direto, modalidade coletiva com pouco contato e modalidade coletiva com contato intenso.

Entre as modalidades individuais sem contato direto estão:

  • atletismo;
  • canoagem;
  • ginástica;
  • surf;
  • skate;
  • tênis;
  • beach tênis;

As modalidades individuais com contato direto englobam:

  • boxe;
  • capoeira;
  • jiu-jitsu;
  • judô;
  • muay thai, MMA e afins;

Modalidades coletivas com pouco contato:

beach tênis em dupla;

remo;

vela;

Modalidade coletiva com contato intenso:

  • basquetebol;
  • voleibol;
  • futebol amador;
  • futsal.

Quanto aos ambientes, a portaria 1.016 também classifica em dois grupos: o outdoor e o indoor – o primeiro em ambiente descoberto, o segundo em ambiente coberto e com paredes que limitam a circulação do ar.

Mapa de risco

Segundo o governo de Santa Catarina, a liberação dos esportes seguirá o resultado da avaliação da Matriz de Risco Potencial Regional para Covid-19.

Os percentuais de ocupação do local variam com os níveis de risco de cada região do Estado.

  • Gravíssimo: até 20% da capacidade;
  • Grave: até 30% da capacidade;
  • Alto: até 40% da capacidade;
  • Moderado: até 50% da capacidade; 

Em todos os níveis de risco, além dos limites máximos previstos por porcentagem, o público não deve exceder o limite de 500 pessoas.

Para uma ocupação maior, a organização do evento deverá submeter um Plano de Contingência específico para avaliação. Caberá aos organizadores também atualizar e monitorar ações de contingenciamento, como fluxos de entrada e saída, medidas para situações de urgência e emergência e manutenção de distanciamento social.

As competições e os eventos esportivos da iniciativa privada ainda devem observar critérios de rastreabilidade e inquérito epidemiológico (imagem abaixo), bem como realizar testes rápidos com pesquisa de antígeno Covid-19 em até 24 horas antes das partidas.

Categorias: Uncategorized

0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *